O que é RPA – Robotic Process Automation?

Na síntese, RPA é o termo utilizado para definir o processo de automação de tarefas com o uso de robôs. Uma abordagem na qual se utiliza da interface do usuário para capturar dados e manipular aplicativos como os humanos, navegando, interpretando e executando atividades em um computador para trazer soluções ágeis.

 

O que um robô pode fazer por você?

 

Existem as causas operacionais, repetitivas, bibliotecárias, científicas, analíticas, inteligentes, entre várias outras que envolvem o RPA. Ou seja, tudo depende da causa da implantação. Assim, o infográfico dividi a complexidade dos robôs em 5 níveis, sendo cada um deles com um desempenho particular. Todavia, a cima disso, toda abordagem RPA envolve necessariamente 3 passos fundamentais. Sendo o quarto, um adereço singular, avançado, de apenas alguns robôs.

 

  1. Captura automática de dados: Na maioria dos softwares tradicionais, em algum momento é necessário que haja introduções de informações no banco de armazenagem do sistema, tendo somente a organização e os cálculos automatizados. Por outro lado, no RPA, o próprio robô fica incumbido pela coleta e operação dos dados, seja através da navegação web ou aprendizado por relacionamento.

 

  1. Acesso à Multissistemas: Um roboô é capaz de acessar qualquer plataforma (ERP’s – Sistemas de gestão empresariais, CRM’s-‘ relacionamento com cliente, sistema financeiro, navegadores, etc.).  Afinal, o RPA simula a ação humana e não influi diretamente no código das aplicações.

 

  1. Qualificação de informações: A grande vantagem do robô é analisar, organizar e estruturar a qualidade dos dados, para no final gerar um relatório capaz de oferecer todo o panorama da realidade empresarial.

 

  1. Aprendizado da máquina: O Machine Learning ou aprendizado de máquina é um método de análise e interpretação de dados que automatiza a construção de lógica artificial. É um ramo baseado na ideia de que sistemas podem aprender com as informações, identificar padrões e tomar decisões com o mínimo ou isenta de intervenções humanas.

 

Conheça um robô de software.

Embora os robôs e os softwares tradicionais possam parecer semelhantes na perspectiva da tecnologia, existem importantes diferenças na operação destes dois processos que os distinguem, dentre elas, a intervenção humana e a flexibilidade. Para ilustrar melhor isso vou te dar 3 exemplos práticos:

 

  • Robô advogado: Quando as pessoas leem sobre isso, logo imaginam um robô humanóide (andróide) aplicando leis e circulando pelo tribunal. Todavia, um robô advogado é na verdade um aplicativo de software que combina inteligência artificial com uma base de conhecimento do sistema jurídico; coleta de dados, formatação de petições, acompanhamento de carteiras, rotina de processos, assessoria em colaborações, relatórios inteligentes e interpretação de decisões judiciais…

 

Como os bots são robôs construídos em cima de uma comunicação não-linear, a inteligência cognitiva interage de acordo com o contexto, navegando sobre a necessidade do cliente e de acordo com a integração e conectividade permitida.

 

  • Chatbot: Um chatbot de inteligência artificial (IA) pode simular uma conversa (ou um bate-papo) com um usuário em linguagem natural por meio de sites, aplicativos móveis ou telefone. A capacidade de identificar a intenção do cliente e extrair dados relevantes contidas na solicitação do usuário é a primeira condição mais relevante de um chatbot. Permitindo, também, a migração para outras plataformas de sistemas caso seja identificada a necessidade de emissão de boletos e/ou consultoria de preços, por exemplo.

 

  • Outra grande amostra são os Googlebots: conhecidos como spiders, os robôs banco de dados da Google. Seu funcionamento se dá através do rastreamento de páginas web, armazenando e mapeando todos os conteúdos e links existentes e em seguida avaliando-os de acordo com os seus próprios critérios, para assim prioriza-los com rankeamento e divulgação. Mas que não param por aí, a cada portal que os bot’s navegam, mais links eles encontram e assim sucessivamente indexam mais URL’s, se aprimorando cada vez mais, ininterruptamente, a partir das informações captadas.

 

Mesmo os robôs e os softwares de automação tradicional sendo dissemelhantes, as duas tecnologias podem trabalhar em conjunto e contribuir de forma coletiva e efetiva para as empresas alcançarem seus objetivos de maneira mais rápida e segura.

 

O que as pesquisas e os especialistas falam sobre o Robotic Process Automation?

 

  • De acordo com o estudo da A. T. Kearney, o RPA – Robotic Process Automation, tende a se expandir cada vez mais e influenciará a economia de serviços ao longo das próximas décadas. Referência: https://bit.ly/2CaMEe9 )

  • A HFS Research também realizou uma pesquisa parecida, com empresas de todo o mundo, no qual apontou que entre as áreas de negócio que mais estão investindo em inteligência artificial, há destaque para as Relacionamento e Suporte (33%), Vendas (27%), Abastecimento e Logística (22%) e Processamento de pedidos (21%). Referência: https://bit.ly/2TzljMS )

  • Segundo a pesquisa Forrester Research, o mercado de RPA movimentará cerca de U$ 2,9 bilhões em 2021 – sendo que 2016 o número foi de aproximadamente U$ 250 milhões. Referência: ( https://bit.ly/2XKDvlQ )

  • Para Frances Karamouzis, o grande segredo é utilizar o RPA para realizar tarefas múltiplas. Quanto maior for o número de tarefas automatizadas, melhor será o ROI (Retorno sobre o Investimento). Referência: ( https://bit.ly/2NRqty9 )

  • A opinião da Gartner também ressalta que o RPA é um dos assuntos mais importantes para os próximos cinco anos – pois a automação mudará a proposta de valor em todas as organizações. Referência: ( https://gtnr.it/2PwiRpc )

 

Conclusão

É interessante lembrarmos, que poucos anos atrás projetávamos os robôs como máquinas,  substitutos do trabalho manual e humano. Porém a realidade caminhou para o mundo virtual, afim de colaborar com o homem.

Assim, compreendemos os RPA’s, como robôs que podem automatizar tarefas repetitivas, trabalhosas e baseadas em regras. Desde a simplificação do fluxo de trabalho à previsibilidade operacional, capazes de replicar as ações do teclado e do mouse, realizando várias atividades de navegação em sites, e-mails, anexos, estatísticas de mídia social e tudo isso seguindo as normas da organização.

Os robôs de fato vieram para ficar. Com isso, para que eles cumpram com seus objetivos e não se tornem mais um problema, primeiramente, comece por boas recomendações. As soluções RPA da Rumo Soluções, por exemplo, operam dentro do seu cenário de arquitetura de TI, podem funcionar com seus aplicativos já instalados (Office, ERP, CRM, Web, Nativo, …) e simplesmente usando a interface do usuário, sem necessidade de programação ou testes extensivos em seus sistemas legados. Isso por quê nossa equipe é qualificada para sugerir as melhores opções na construção dos robôs.

Está pensando em iniciar uma consultoria? A Rumo é uma empresa que atua forte com RPA’s, portanto, quem sabe não podemos te ajudar?! www.rumosolucoes.com.br, à sua disposição.

 

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *